Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007

Portal


Portal toma lugar no laboratório de uma divisão da Aperture Science (rival da Black Mesa, familiar aos conhecedores do universo de Half-Life). É aqui que o jogador acorda na pele de uma mulher, confinada a uma cela com paredes de vidro até que uma voz feminina computorizada lhe fornece uma breve introdução acerca da sua função e indica a criação de um portal para sair daquele espaço.

Consistente com todo o ambiente, esta voz, que acompanha o jogador ao longo da aventura, é o verdadeiro fio condutor da trama, conduzindo, por vezes, a momentos de humor sarcástico apenas capazes de ombrear com os nomes mirabolantes das proezas que vão sendo desbloqueadas pelo jogador à medida que progride.

Dotado de uma jogabilidade irrepreensível, Portal centra a sua mecânica no Handheld Portal Device, arma com a qual o jogador não tardará a cruzar-se e será obrigado a passar as diversas câmaras de teste, construídas em jeito de puzzle. O seu funcionamento é simples: o disparo primário origina um portal azul, que por sua vez comunica com o portal laranja criado pelo disparo secundário, bastando ao jogador disparar na direcção das superfícies através das quais pretende transitar.

Inteligente, divertido, diferente, genial são apenas alguns dos adjectivos que poderão qualificar Portal. No entanto, este é também curto. Dependendo da perícia do jogador, o modo principal dura em média apenas três horas, algo que poderia ter sido facilmente expandido, dada a qualidade do design de níveis a que a Valve nos tem habituado e que se mostra também em Portal.

Decerto conscientes deste facto, os criadores remeteram o prolongamento da experiência de jogo para um conjunto de níveis avançados (versões "aditivadas" de alguns dos níveis contidos no modo principal), bem como uma série de desafios a cumprir nos níveis originais, todos desbloqueados após a terminação do jogo.

Portal é um jogo raro e contém muitos detalhes surpreendentes, detalhes estes que vão desde referências diversas ao universo de Half-Life até à própria banda sonora. É certo que as ideias que se encontram na sua origem não são novas, mas a sua conjugação e a forma como foram aplicadas convergem num produto final muito especial, um jogo simultaneamente hardcore e casual, categorizável como jogo de culto.

O jogo em questão pode ser adquirido via Steam ou em conjunto com Team Fortress 2 e Half-Life 2: Episode Two (bem como Half-Life 2 e Half-Life 2: Episode One) na Orange Box. Os restantes jogos desta caixa, considerada por muitos "o negócio do século", serão analisados a seu tempo.

O vídeo seguinte é apenas indicativo da jogabilidade de Portal, representando o estado do jogo aquando do seu anúncio:




Para quem terminou o jogo, aqui ficam duas curiosidades:
Visitem http://www.aperturelabratories.com/ e introduzam o comando "login". Quanto a Username e Password, procurem-nos em Portal escritos algures numa parede. cjohnson tier3
Descubram o projecto e a equipa de desenvolvimento que deram origem a Portal em http://www.nuclearmonkeysoftware.com/.

Publicado por NMancer às 15:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
1 comentário:
De DarK_SharK a 5 de Novembro de 2007 às 15:17
Curti o teu blog, se poderes passa no meu!


Comentar post

O PC Gamer é um blog de opinião dedicado a videojogos para PC, pensado e escrito por um jogador comum, não se encontrando directa ou indirectamente relacionado com qualquer outro projecto de mesmo nome.

» Sobre o autor


» Ver perfil

. 2 seguidores

» Pesquisar neste blog

 

» Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30


» Posts recentes

» Diablo III

» Colin McRae DiRT

» The Witcher

» Half-Life 2: Episode Two

» Portal

» PC Gadget - 3rd Space FPS...

» Bioshock

» PC Gamer

» Arquivos

» Junho 2008

» Fevereiro 2008

» Janeiro 2008

» Novembro 2007

» Outubro 2007

» Tags

» todas as tags

» Links

SAPO Blogs

» Subscrever feeds